textos autorais

Estação Liberdade

Desde que a minha vida saiu dos trilhos sinto que posso ir a qualquer lugar.

– Zack Magiezi


Contextualizo essa frase em tantas perspectivas distintas que o fôlego me escapa entre os pulmões. Desde que a li reinventei-me tantas vezes que perdi as contas. A partir do nascimento de diversas versões minhas, todas originadas da vontade de transcender além do que a realidade permite, fui capaz de me enxergar como um ser humano pela primeira vez. E desse conceito, o de que mudar não faz mal veio logo em seguida. Estamos fadados à não sermos constantes. Compreender isso foi revolucionário. Continue lendo “Estação Liberdade”

Anúncios
textos autorais

Avenida Paulista e seus pontos finais

O céu azul contrariava os boatos de que na capital paulista tudo era coberto por uma névoa cinza. Lembro bem da sensação de olhar os prédios e todas aquelas torres na Avenida Paulista enquanto meus cachos eram violentados pelo vento forte que, sem piedade, atravessava a bicicleta emprestada enquanto meus pensamentos finalmente seguiam alguma ordem lógica. Continue lendo “Avenida Paulista e seus pontos finais”

textos autorais

Eu não sei nada sobre o amor

– Já não sei mais se acredito no amor. – a voz de dentro da minha cabeça assume, cansada, enquanto a imagem de uma xícara de chá matte é contemplada.

Não é como se eu estivesse congelada e não sentisse nada dentro de mim – apesar de que há muito tempo isso acontece. O que quero dizer é que talvez, por um breve instante, eu tenha notado o mundo sem aquela cortina que fantasio, agora com menos pessoas de carne e osso e mais personagens entrando em cena espalhados pelo cotidiano. Continue lendo “Eu não sei nada sobre o amor”

textos autorais

Esse texto não é um pedido de desculpas

Eu sinto muito por não sentir mais. Já senti tanto que transbordei – o excesso de ti desmoronou. Eu te via em cada esquina, sentia o teu cheiro em cada móvel, sentia sua ausência e presença andarem de mãos dadas no casal sentado bem na minha frente, até que de tanto sentir uma hora deixei. Hoje contemplo o que não sinto porque já senti tanto que me perdi de mim. Continue lendo “Esse texto não é um pedido de desculpas”

textos autorais

Resistência ao avanço em embarcações

Far away
This ship has taken me far away
Far away from the memories
Of the people who care if I live or die

Muse - Starlight

Vamos imaginar que você, pessoa anônima que está lendo esse texto, é um navio. Tanto faz se a imagem que apareceu na sua mente é a de um porta-contêineres ou um petroleiro, quero apenas que você imagine ser um navio. Existem certos fatores para que navio possa navegar, e um deles é a resistência ao avanço, que como o próprio nome diz, é a resistência da embarcação ao avanço (risos). Para que isso aconteça, é necessário sobrepor esse valor, o que nos leva as seguintes questões: Continue lendo “Resistência ao avanço em embarcações”

textos autorais

Engenharia de fracassos aplicada à Neurologia

A doce brisa vespertina bagunça meus cachos e a minha mente. Vestígios passados e histórias enterradas se desprendem da minha pele, sorrio quando percebo que meu último ano foi feito de tombos e que hoje sou feita de cicatrizes. Dores mal resolvidas são parte da minha história. As ondas da minha memória batem com força como uma orquestra eufórica, o universo inteiro faz parte do vai e vem marítimo, lembranças continuam a se desprender de mim em direção à uma esquina do meu cérebro chamada lóbulo frontal, onde existe uma pequena porém resistente casa de inseguranças e traumas que construí e que agora tento desconstruir dia após dia. Continue lendo “Engenharia de fracassos aplicada à Neurologia”